Pular para o conteúdo principal

Noruega vai construir o primeiro túnel para navios de grande porte no mundo


O governo da Noruega deu o sinal verde ao anunciou que quer construir o primeiro túnel no mundo para navios, com o objetivo de ajudá-los a navegar por uma secção instável da costa sudoeste do país.

O túnel, que terá o nome de Stad Ship Tunnel, será localizado no ponto mais estreito da Península de Stad.



O projeto custará 2,7 bilhões de krone (£ 260 milhões), mas a Noruega - com sua enorme riqueza de petróleo e gás do Mar do Norte - pode facilmente pagá-la.


O túnel, através da Península Stad, no oeste da Noruega, será grande o suficiente para permitir que atravesse navios de até 16.000 toneladas métricas, incluindo cargueiros e navios de cruzeiro.
Atualmente, o Norwegian Coastal Express navios de cruzeiro e ferries vela para a cidade de Aheim sobre o Vanylvsfjord e, em seguida, tem que percorrer todo o caminho em torno da Península Stad para chegar Måløy.
O túnel em si é configurado para se tornar uma atração turística em seu próprio direito quando se abre em 2029. O projeto do túnel foi escolhido, em vez de um canal de navio tradicional, por causa dos danos ambientais que um canal faria à península.

A via de passagem para os barcos terá 1,7 quilómetros e será construída numa parte da encosta montanhosa da península, ligando duas grandes entradas do mar entre altas montanhas rochosas, marcas características da costa da Noruega.
Já existem túneis para barcaças, como o Canal do Midi em França, mas o túnel de Stad será o primeiro no mundo capaz de acomodar cargas de grande porte e navios de passageiros até 16,000 toneladas.
"Será o primeiro túnel no mundo que poderá ser usado por grandes barcos como navios cargueiros ou o 'Coastal Express'", o navio turístico que percorre a costa norueguesa, disse Ottar Nygaard, presidente da pequena localidade de Selje e responsável pelo projeto.
De acordo com um recente estudo realizado pela empresa especializada Nordvest Fjordservice, nas águas da península de Stad ocorreram 46 acidentes e 33 mortes desde o fim da Segunda Guerra Mundial.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TIPOS DE SOLOS

Introdução Solo, do latim solum, o material da crosta terrestre, não consolidado, que ordinariamente se distingue das rochas, de cuja decomposição em geral provêm, por serem suas partículas desagregáveis pela simples agitação dentro da água [Holanda, A. Buarque de]. Geologicamente, define-se solo como o material resultante da decomposição das rochas pela ação de agentes de intemperismo. No âmbito da engenharia rodoviária, considera-se solo todo tipo de material orgânico ou inorgânico, inconsolidado ou parcialmente cimentado, encontrado na superfície da terra. Em outras palavras, considera-se como solo qualquer material que possa ser escavado com pá, picareta, escavadeiras, etc., sem necessidade de explosivos.
Agentes do Intemperismo: temperatura / pressão / alterações cristalinas / hidratação / agentes biofísicos – vegetação / agentes químicos – dissolução, oxidação, redução,hidratação, hidrólise, lixiviação. 
Origem dos Solos Com base na origem dos seus constituintes, os solos podem ser di…

Cimento Pozolânico

O cimento pozolânico é constituído de clínquer portland, gipsita (alguns porcentos) e cerca de 10 a 40% de Pozolana.

As pozolanas são materiais naturais ou artificiais finamente divididos que; em contato com hidróxido de cálcio, na presença de umidade, formam compostos aglomerantes, visto que a pozolana por si só não constitui material aglomerante. Estes compostos são análogos aos do cimento portland. As pozolanas naturais mais importantes são as cinzas vulcânicas, não encontradas no Brasil. As principais pozolanas artificiais são as cinzas volantes resultantes da combustão de carvão mineral em usinas termelétricas ou argilas ou folhelhos argilosos ativados por calcinação entre 700ºc e 900ºc. Os dois tipos são utilizados no Brasil.
O cimento pozolânico, devido a reação pozolana com o hidróxido de cálcio liberado durante a hidratação do C2S e C3S, apresenta uma resistência química maior, pois o hidróxido de cálcio facilmente solúvel encontra-se combinado na forma de silicato de cálcio de…

Blocos de Ancoragens

Durante o transporte de líquidos dentro de uma tubulação aparece empuxos decorrentes deste movimento que tendem a movimentar a tubulação. Para se evitar este movimento e procedida a utilização de blocos de ancoragem de concreto, é a técnica geralmente mais utilizada para equilibrar os esforços de empuxo hidráulico de uma canalização com bolsas, sob pressão.


PRINCÍPIO

Diferentes tipos de blocos de ancoragem podem ser colocados segundo a configuração da canalização, a resistência e a natureza do solo, a presença ou não de lençol freático. 

O bloco reage aos esforços de empuxo hidráulico de duas formas:
·por atrito entre o bloco e o solo (peso do bloco), por reação de apoio da parede da vala (engastamento).

Na prática, os blocos de ancoragem são calculados levando em consideração o atrito e a resistência de apoio sobre o terreno. 

Quando existem obstáculos ou se a má qualidade dos terrenos impossibilita a construção de blocos de ancoragem, é possível utilizar a técnica de travamento das juntas.